Novembro, 1995
Coração é terra que ninguém manda.
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil ContatoContato
Textos

Que os céus te recebam, mãe.
Acordei sentindo o coração pesar. Uma dor chata e no fundo, um tanto familiar. Segui minhas rotinas diárias, quando veio a notícia de que ela estava indo embora. Assim meio que para sempre, meio que até logo e eu entendi o motivo da dor pela manhã. Era a perda, novamente batendo a minha porta, querendo tomar um chá. E dessa vez me pegou desprevenida, entrou sem avisar.
Meu refúgio estava de partida, e partiu. Nenhum abraço para selar nossa despedida. Apenas um recado para mim, que por hora foi reconfortante. Estaria mentindo em dizer que estou lidando bem com isso. Aceitar a perda e superar é difícil. Entretanto, eu sei que ela está feliz, em um lugar bem melhor que aqui. Sorrindo e pedindo por mim, assim como eu aqui, pensando nela.
Intensidades
Enviado por Intensidades em 29/11/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários