Novembro, 1995
Coração é terra que ninguém manda.
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil ContatoContato
Textos

uma noite de chuva
Chovia bastante naquela noite, o cheiro de terra molhada pairava no ar e o relógio marcava 00:30. O café já tinha esfriado e Maria continuava ali sentada na varanda, pensando na vida. Ela se levantou e foi até a cozinha. A casa toda com uma luz baixa, e tudo parecia aparentemente bem, mas no fundo, estava faltando alguma coisa. O relógio agora já marcava 00:45.
Ela foi na cozinha, pegou mais café e voltou para varanda. Se aconchegou entre a rede e edredom, olhou a chuva aumentando lá fora, e continuou sentindo no que fundo, estava faltando alguma coisa. Ela respirou fundo, olhou em volta e só desejou se molhar. Ela saiu de casa, correu pro quintal e se molhou. Seu coração disparou, ela abriu os braços e o sorriso saiu fácil. Maria respirou fundo e gritou ao mundo: - Era isso que me faltava.
Intensidades
Enviado por Intensidades em 18/12/2017
Alterado em 19/12/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários