Novembro, 1995
Coração é terra que ninguém manda.
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios PerfilPerfil ContatoContato
Textos

Te amei calada


Bem, você nunca vai saber disso, porquê jamais revelarei seu nome
Talvez, eu deixe pistas, pra você saber (ou não)
No início, achei que era apenas um sentimento de afeto
Que seria só amizade, mas, eu estava errada
Quando não falava com você, meu dia acabava na hora
Tudo começava a dar errado, você fazia falta!
Entre mensagens, cartas, ligações, sorrisos, eu me apaixonei por você
Só que fui imatura o suficiente pra entender, pra me deixar sentir
Teu sorriso largo, tua boca carnuda, tenho na mente até hoje
E por incrível que pareça, já fazem dez anos,
Mas, você continua do mesmo jeito, nada mudou!
Fomos duas almas distintas, porém, algo nos unia
Pelo menos, nos uniu por um breve momento
Você não faz ideia das loucuras que fiz pra te ver
Todos os dias, saia de casa, ficava no ponto do ônibus
Esperando por você, mesmo que você não me visse
Ia só pra te admirar, porque no fundo, eu sabia que nunca ia te ter
(e realmente, não tive)
Me pergunto todos os dias, como teria sido se eu tivesse percebido a tempo?!
E se eu tivesse me declarado, você corresponderia? Você me amaria?
Bem, são perguntas que eu nunca vou saber, porque hoje,
Já não somos aquelas pessoas de anos atrás
Dói escrever, pensar, pronunciar isso, mas...
Hoje nem nos falamos mais.
Eu te amei calada por dez anos... e quem sabe, vou te amar por mais
Você me marcou, aquário!
Te mantenho em mim, como minha primeira descoberta do amor intenso
Do amor proibido, platônico, do amor sofrido
Seja feliz, muito feliz.
Obrigada por ser parte de mim...

Eu te amei calada, L.
E talvez, ame para sempre.
Intensidades
Enviado por Intensidades em 18/06/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários